Como pedir socorro na água?

christopher-campbell-ENp9LZOIm_A-unsplash-corte

Rádio, foguete sinalizador, buzina, bandeira… O que e como usar para pedir salvamento em situações de emergência

Uma das coisas mais importantes ao sair com um barco é saber como pedir auxílio em uma emergência. A situação mais grave a bordo é o risco iminente de naufrágio. Neste caso, não hesite em pedir socorro o mais rapidamente possível. Se não houver outro barco por perto, use o rádio VHF ou, a partir de 20 milhas ou 37 km da estação, o HF/SSB. Já, para navegações oceânicas, um sinalizador epirb (do inglês emergency positioning indicator radio beacon) emite um pedido de socorro com a localização aproximada do barco em qualquer lugar do mundo.

Foguetes sinalizadores podem e devem ser usados também para pedir socorro durante a noite. Existem foguetes específicos para cada situação. Por exemplo, foguetes com paraquedas (tempo de queima de 40 segundos, intensidade luminosa de 30.000 candelas e altura mínima de 300m) devem ser utilizados quando não há outra embarcação por perto, pois têm grande alcance (até 40 milhas ou 74km) em noites de boa visibilidade.

Outros sinalizadores, como o facho manual luz vermelha (tempo de queima de 60 segundos e intensidade luminosa de 15.000 candelas) servem para chamar a atenção de um barco no visual do nosso. Esse artefato pode ser visto mesmo em nevoeiros.

Já o sinal manual estrela vermelha (tempo de queima de 6 segundos, intensidade luminosa de 20.000 candelas e altura mínima de 80m) deve ser utilizado para pedir socorro quando estamos a curta distância de outro barco ou da terra.

Durante o dia, um sinalizador importante é o fumígeno de cor alaranjada, útil também para chamar a atenção de aeronaves de busca.

Se estivermos próximos de outro barco, podemos pedir socorro simplesmente movimentando os braços para cima e para baixo ou, à noite, usar uma lanterna para emitir o sinal SOS — três lampejos rápidos (de um segundo cada), três lampejos longos (de cinco segundos cada) e três lampejos rápidos — do código morse. Toque contínuo de buzina (ou apito), bandeiras N e C (do código internacional de sinais) e chamas a bordo — o que deve ser realizado com critério, óbvio — também indicam perigo e necessidade de auxílio.

Emergências médicas a bordo podem requerer socorro imediato. Neste caso, deve-se usar o rádio e pronunciar três vezes a palavra “pan”, nos canais 16 e 68 do rádio VHF (ou nos canais de socorro do rádio HF/SSB). Em seguida, deve-se fornecer o nome do barco, a posição e uma descrição sucinta do problema.

Agora, se seu motor quebrar, a primeira providência é ancorar o barco, para não ficar à deriva e ser levado para alto-mar, e usar o rádio ou o celular para pedir auxílio. Embora esta seja uma situação complicada, problema com o motor não é considerado emergência, exceto se o barco estiver sendo levado para alto-mar ou para perto da zona de arrebentação.

 

Fonte: minutonautico

Leave a reply